sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Profanação




Beijo tuas mãos, pois reverencio o toque com que me profanas o corpo já entregue a teus caprichos místicos!
Tuas palavras ditas no silêncio já não as escuto... Vou sorvendo lentamente, qual vinho antigo que se torna mais saboroso com o passar do tempo e me embriago sem pudores nas doces revelações que me fazem sentir amado!
O teu beijo é carícia profunda que me tira do céu e me joga ao inferno, limita meu êxtase e me faz viajar por entre sensações desnudas, porém concebidas em prazer absoluto!
Bendito seja este sentimento que me intimida, desembaraça, enlouquece e tranquiliza, satisfaz e me refaz!
É neste porto que quero estar ancorado, neste labirinto que quero perder-me e não mais encontrar a saída!
Porque eu vivo em você... Pode ir para onde quiser que vou estar pulsando em seu peito continuamente!
Porque as marcas que se fizeram em nossas almas ficarão gravadas eternamente em outros tempos, outros mundos, como ferro em brasa a machucar delicadamente aquilo que não buscamos, mas que nos dilacera de forma tão ardente e prepotente, a julgar nossos sentimentos de forma tão sagaz e irrecuperável!

Bruno Garcia

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Reencontro





Quando me deparei frente a frente com você, naquela fração de segundos, em que meus olhos encontraram os teus, neles mergulhei intensamente sentindo que estava desbravando sua alma, fazendo uma viagem em sua mente, buscando nos teus pensamentos as idéias mais arrebatadoras e revirando tudo que buscava casar-se com meus próprios ideais!
Seu corpo irradiava tamanhas vibrações que sentia o calor me consumir, queimando os meus desejos secretos, me tentando a entrega total de maiores emoções!
Os carros passando apressados, o som das buzinas e o ensurdecedor burburinho das pessoas conversando se misturando ao ambiente, nada disso fazia com que se dissipasse o meu silêncio interior, minha imobilidade, a magia daquele momento!
Quando teu sorriso brotou espontâneo, meu coração bateu apressado e não sabia se naquele instante morreria, tal a intensidade violenta em que me dispus a senti-lo, parecendo que naquele vazio que nos envolvia ele se fazia escutar também... Pois meu corpo tremia, mas mesmo assim, a serenidade interior lutava contra o medo, querendo ganhar espaço e dominar triunfante!
O toque das mãos foi como um choque da realidade com a ilusão, tudo se desfez instantaneamente e quando dei por mim, já o abraço forte nos envolvia!
E não foi preciso dizer nenhuma palavra; Recostado em seu ombro sentia sua respiração mais ofegante e desejei que o tempo parasse ali, naquele momento, em que ambos sentíamos as mais inexplicáveis sensações!
O choro, no início preso, se soltou por fim e os soluços e lágrimas escorriam por nossas faces, nos banhando em carícias totalmente permitidas e desejadas!
Pois chorar de alegria é como desaguar o sal das lágrimas em um manancial de riquezas prósperas e ocultas!
De seu corpo não queria me separar e também senti a mesma vontade vinda de seus braços que me cingiam a ponto de querer que nos tornássemos um só!
Quando a emoção tão desenfreada se acalmou um pouco, toquei em seus cabelos e os senti macios, o inebriante perfume, o calor de tua pele mais veemente!
O beijo aconteceu. Nossas bocas unidas, nossas línguas entrelaçadas, num frenesi sem fim!
Já não sentíamos medo de coisa alguma... Nosso único receio era que acordássemos de um sonho, o que não aconteceu, pois era tudo real e maravilhoso!
A sua voz grave por fim se fez ouvir, mas, ternamente em meus ouvidos!
E aquele som foi como uma melodia doce, e, ao mesmo tempo forte, determinada!
E então já não falávamos mais de forma a dar de ouvir aos que nos rodeavam e passavam sem sequer notar o momento único e tão esperado!
Eram sussurros, velados, guardados por tanto tempo e que agora tinham sua vez!
Por quanto mais o tempo se passou eu não sei dizer!
Só sei que foram os momentos mais felizes... Em que duas almas que se reencontram, se identificam e se resguardam como o querer perpetuar num santuário não mais particular, toda sua vazão de sentimentos antes revirados e agora girando em sentido organizado, em perfeita sintonia!
Que o teu amor me cubra com o manto da paz há tanto tempo buscado;
Que meu amor te cubra de beijos e finas delicadezas que me permito doar abundantemente!
E, que seja duradouro, mas, construído em alicerces seguros que possam nos conduzir a nada mais que seja preciso fazer ou provar, para se sentir e dizer: EU AMO VOCÊ!

Bruno Garcia

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Fantasia




Vestiu-se toda de festa e adornos mil;
Expressou o seu sorriso mais faceiro e encanto juvenil;
Esperou impaciente e cantou baixinho em meio à orquestra varonil;
Por fim junto ao copo vazio viu se aproximar a solidão e irremediavelmente a desilusão;
Aí cantou a passarada, iniciando com a alvorada o raiar de mais um clarão;
O salão vazio como por encanto a tomou nos braços, corpo já quase desfalecido e, a rodopiou em uma dança frenética e inesperada;
E no seu longo pranto cintilaram gotas que já não eram do orvalho;
Desfez-se em poesia e caíram por terra os graciosos enfeites de outrora;
A ausência tão sentida, igualmente retraída se despiu em meio à dor;
E no leito perfumado, o corpo nu, branco e macio, recaiu exasperado;
O amor não veio ou não veio o objeto amado?
Cerra os teus olhos e sonha... Em meio ao branco e preto, que o colorido se fará notar... E não alivies a alma, que de tão serena e mansa já não a deixará despertar!

Bruno Garcia

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Pranto





Hoje vou falar sobre meus sentimentos e me sinto um pouco estranho ao fazer este desabafo!
Parece-me estar em um palco, rodeado por olhares invisíveis... Juízes? Carrascos? Simplesmente amigos... Acredito piamente; Pois despir-me inteiramente, revelando minhas fraquezas, medos e frustrações é um tanto assustador!
Quem segue minhas postagens sabe que sou um romântico incorrigível e não quero me corrigir não, nem me desculpar por assim o ser, desejo mostrar como nesse momento sinto a falta de vivenciar o amor em sua pura essência!
Gostaria de dizer também que em sentido figurado, ouço muito sobre “cuidar do meu jardim”, “amar a mim mesmo acima de tudo”, “tudo tem sua hora para acontecer”... Sim! É válido e reconheço que estas frases, digamos “feitas”, tem seu respaldo e sentido inteiramente direcionados por experiências de outras pessoas e que se aplicam sobre outras tantas de forma consoladora e eficaz!
Eu gosto de mim, do meu jeito de ser, do meu modo de sonhar, do meu modo de agir quando possível em benefício a buscar meus próprios desejos!
Gostaria de entender o porque alguém como eu, que neste ponto, sem falsa modéstia, possuidor de tão bons sentimentos, vive sempre sozinho!
Eu procuro muitas respostas e não as encontro em nenhum lugar ou momento, passado ou atual!
Digo passado, pois, muitos poderão dizer que não se vive de passado... Concordo plenamente, mas ele é “presente” no presente, pois é a bagagem que faz a nossa história de vida!
E estar sozinho não é uma escolha minha! 
Existem pessoas que fazem esta escolha e são muito felizes em seu cotidiano, é uma forma de vida, seja escudo ou por vontade própria somente! Devemos viver de acordo com o que manda nosso estado de espírito ou mesmo uma filosofia que se segue ao pé da letra de modo que em nada se altere no dia-a-dia!
Sei das diversas formas de amor que existem e que estão ao alcance das mãos!
Mas falo do amor que pode existir entre duas pessoas, não creio que o homem ou a mulher foram feitos para viverem sozinhos, à margem de sua própria solidão!
Citando o tempo em sentido figurado, nos meus quase 43 anos, com descontos é lógico, só tive um relacionamento e no fundo foi mais um “engano” de minha parte! Tencionava viver um amor, paixão, ou relacionamento de namoro, seja lá que nome se queira dar, de uma forma tão necessitada que me entreguei de corpo e alma a uma pessoa que simplesmente usou meus sentimentos mais sinceros! 
Depois disso, o vazio... E não é dizer que devo me abrir, me permitir a novas vivências... Eu faço o que posso para preencher este vácuo que se formou em meu peito, este mesmo, que apesar de tudo é cheio de amor e carinho, tanto que me parece que vou explodir algumas vezes!
E não encontro quem deseja receber o que de tão bom trago dentro de mim!
Mas eu quero receber também, eu quero trocar estas energias que são tão importantes para o ser humano!
Já bati em muitas portas, já me humilhei, me deixei vencer pelo cansaço!
Sim, eu sou carente e muito, mas quando procuro razões para entender o que se passa comigo eu não encontro as explicações! Talvez elas nem precisem se fazer presentes, ou quem sabe... Alguém me dirá que sim!
O que vivenciei uma vez somente em minha vida e de forma tão negativa, não me serve de base para dizer que outras coisas boas estão para acontecer ou porque elas nunca acontecem!
Pode parecer negativismo, mas não... É uma realidade presente, pesada, sufocante!
Teoricamente sei que um simples namoro ou um relacionamento já com fortes alicerces envolve uma série de fatores que fazem parte naturalmente de qualquer relação: Brigas, ciúmes, desentendimentos e tantas outras coisas!
Mas eu desejaria viver todas estas tormentas, uma, duas ou quantas vezes fossem necessárias do que o nada!
O nada é muito triste!
Ao mesmo tempo em que você sabe que é digno, justo, idôneo e tem bons sentimentos, se perde por não encontrar a quem direcionar estas qualidades!
É como se você estivesse sentado em frente a um rio, vendo a água passar mansamente e nada se movesse ao redor, nem as folhas das árvores, até o silêncio dos pássaros que porventura estivessem presentes neste cenário desolador para uma alma que grita por algo que tanto deseja!
A dor é muito sutil, mas ao mesmo tempo muito forte, aguda... Não tem como descrever tal angústia!
Talvez para quem já viveu várias experiências ou vive atualmente, este texto pode parecer muito bobo e sem nexo! Poderão rir de mim e pensar que tolo eu sou... Talvez eu seja, mas na melhor das intenções! 
Quem escreve? Um adolescente? Não... Um homem que tem sentimentos!
As lágrimas marejam meus olhos, brotam espontâneas em minha face e não posso fazer nada!
Sou tão claro no que busco e é tão obscuro o que raramente tenho de retorno!
Não me envergonho de dizer que sangro internamente, o quanto peno imensamente por não poder amar e ser amado, ou, poder e querer amar... A quem?

Bruno Garcia

sábado, 9 de novembro de 2013

Estações





Quando a primavera sorriu para mim, me escondi qual criança assustada que se depara com situações inusitadas e me fechei dentro de um quarto escuro e nem sequer cogitei acender a luz para clarear minhas ideias e organizá-las! 
Quando chegou o verão, com seu calor escaldante, em que tudo se agita e o sangue aflora na face, o desejo de abraçar o mundo, de tudo conquistar, de alcançar o inimaginável...mais uma vez desci para o porão sombrio em que somente minha consciência habitava e não deixei ninguém ali penetrar, só uma pequena fagulha que "teimava" em clarear tudo e ensaiava tomar conta deste lugar abafado onde as lágrimas negavam o brilho dos raios do sol e impulsos naturais tão belos! 
Mas mesmo esse pequeno lampejo eu fiz questão de não se deixar alimentar e a fraca chama foi definhando pouco a pouco! 
Quando o outono chegou eu senti o vento frio e pela primeira vez me identifiquei com a natureza e vi as folhas de minha vida, dispersas pelo vento, serem varridas para algum lugar cinzento tal qual o céu nebuloso! Meus cabelos brancos e minhas forças começaram a faltar e não mais corri para o quarto escuro... para o meu porão sombrio! 
Eu sai às ruas e me deparei com tantas novidades, com uma vida que ainda não tinha vivido, que me dei conta de que estava perdido em um labirinto tão grande que mesmo tateando as paredes e rodando pelas imensas galerias parecia impossível encontrar a saída...estava no vazio e não clamei por ninguém! 
Como fugi de todos e de tudo só poderia contar comigo mesmo! E me dando conta de minha ignorância e falta de conhecimento de tudo, eu consultei meu coração, pois o mesmo, nem o medo poderia parar! 
E encontrei respostas favoráveis às minhas indagações de onde estou, como sou realmente e se ainda teria chances de recomeçar! 
Ele bateu descompassado, o que traduzi que se pode recomeçar do nada, mesmo que esse "nada" tenha durado praticamente uma vida inteira; Não se pode recomeçar todos os dias? Por que então não começar uma jornada jamais vivida? 
E não é fácil realmente, mas ter o mínimo de coragem para tentar me faz respirar mais aliviado, pois não posso recuperar a tonicidade de meus músculos pois meu corpo mudado e sem cuidados foi-se atrofiando... Mas ainda o tenho e se consigo me erguer e ficar em pé depois de tanto tempo, só espero que o inverno possa me aquecer, pois ele também é acolhedor como nunca e que a partir de então, todas as estações possam ser aproveitadas da melhor maneira possível! 

Bruno Garcia

sábado, 2 de novembro de 2013

Dubiedade




Caminhos que se cruzam e se distanciam; 
Palavras de amor que são ditas e se perdem no espaço; 
Sonhos não vividos que teimam em querer aflorar; 
Sorrisos distribuídos ao longo das avenidas; 
Chama que se apaga, mas que queima; 
Silêncio que responde a todas as questões; 
Coração aberto ao apelo do pulsar; 
Desenhos nas nuvens e estações delimitadas do amar.

Bruno Garcia

sábado, 26 de outubro de 2013

Vida




Se permitir olhar além, do que supostas aparências que enganam e subjugam os fatos!
Visualizar os pequenos milagres que a vida nos brinda diariamente;
Sonhar, mesmo que o sonho não se realize... A esperança sempre desponta!
Amar, pois um coração sempre pode pulsar novamente!
A dor existe, as aparências enganam, os sonhos se desfazem... Mas antes de tudo se permitir VIVER, pois entre acertos e erros, aquele simples gesto que não foi notado ou demonstrado, poderia ter se tornado o mais belo de toda sua existência!

Bruno Garcia

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Plenitude




Em meu silêncio interior escuto todas as vozes que me habitam;
Algumas zombam de mim, outras demonstram reticências;
Outras me acolhem as súplicas e fazem ecoar por imensos paralelos entre a razão e a emoção... A insensatez!
Mas eu não me importo de viver os sentimentos em plenitude, pior seria o nada... o vazio de um peito abandonado.

Bruno Garcia

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Lágrima




Um dia pensei que saudade fosse abraçar o seu corpo bem forte e te fazer cativo em meus braços!
Hoje sei que saudade é te trazer dentro do peito e deixar tua lembrança escorrer em minha face...

Bruno Garcia

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Decisão




Enfim é chegada a hora;
De me agasalhar em teu peito e em seu coração estabelecer minha morada;
De fazer do sal de suas lágrimas, que me corrói a alma, um mar sereno e calmo;
De me perder no teu sorriso tão espontâneo e brincar com nossos sentimentos, revirados, atordoados, inimagináveis, corajosos!
Quero fundir nossa essência em uma só, imorredoura, incontrolável, incansável, delicada!
Porque já é tempo de nossos braços se alinharem em um abraço perdido nas curvas e nas delícias de um bem querer!
Pois na dança da vida, dançaremos juntos desde o entardecer até o amanhecer e, depois exaustos, exauridos em nossas forças, nos restabelecer na prontidão de nosso amor que se mantém sempre aceso, devastando olhares e acasos, possuídos numa única chama que arde, estala, arrepia, queima sem dó e nunca perde o brilho, só se alimenta cada vez mais!
Quero molhar nossos corpos com a chuva torrencial que nos envolve e desmancha nossas últimas resistências, desbotadas, alquebradas, arquejadas, marejadas... fonte de loucuras insaciáveis!
Dê-me sua mão e venha confiante comigo, já pensei em tudo... Não há mais o que resistir!
Convido-te a visitar meu mundo e fazer nele sua estada, pois já vivo no seu e não posso ser somente habitante... Também necessito ser habitado, visitado, açoitado pelo prazer de teu convívio; 
Encontrado por ter me perdido em suas terras férteis, em meio a labirintos de desejos onde o seu coração me indica o caminho do retorno ao meu próprio e, aí poderão juntos pulsarem enlouquecidamente felizes!
Quero as palmas de nossas mãos juntas e nossos dedos entrelaçados, firmes, fortes, apertados, inseparáveis!
É chegado o momento de ancorar no seu porto seguro, caís de minhas ilusões outrora embotadas de dissabores e ficar quieto, tranqüilo sentindo o seu cheiro que me inebria e me consagra! 
Quero ser o seu tudo e também o seu nada, o seu lado contrário e ousado, abusado, escachado, marginalizado, penalizado, transfigurado!
Vem, que te ofereço o vinho mais puro, a pedra mais preciosa, o manancial de todas as provocantes decisões tomadas e embasadas!
É tempo de nos consumirmos em nós mesmos e nos encontrar quem sabe... noutro prazer jamais mencionado!

Bruno Garcia

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Retrato




Reconheço minhas fraquezas, meus erros, minha sensibilidade exagerada;
Sei que pago um preço muito alto pela minha sinceridade que as vezes atordoa.
Tenho meus medos, defeitos... Sou uma página que ainda não foi lida completamente!
Já fiz pessoas chorarem, magoei, julguei e fui além do que minha imaginação permitia. 
Mas eu sou feito de sentimentos e eles traduzem tudo o que sinto. 
Habito este corpo e dele me deleito e me abandono aos olhos de quem procura não somente o toque e sim o sopro do que o constitui realmente! 
Tenho meus porões sombrios e nem eu mesmo me atrevo a descer até eles... É preferível subir os degraus daquilo que me valoriza e passa despercebido aos alheios.
De tanto ser sentimento, me deparei com o vazio, mas nele eu desenho e crio meus planos, minhas forças se renovam e o colorido preenche o branco vácuo que o sustenta! 
E em meio à solidão que invade meu peito e na qual eu me sinto perdido, levanto a cabeça e caminho por aqueles que não podem caminhar, olho para o céu azul por quem não pode enxergar, escuto as risadas ou soluços de tristeza de quem não pode ouvir, eu alcanço com minhas mãos as flores que outros não podem colher, eu posso tocar o coração daqueles que não sabem ou não querem amar! 
Perguntas acaso se me amo? Sim, eu amo o meu jeito de ser, um jeito doce, um jeito de me entregar sem dúvidas àquilo que me move, mas que nem sempre posso ter... São os passos que é preciso dar, assim quando crianças começamos a aprender a andar! 
A trilha é longa e eu às vezes me desespero no meio do caminho... Mas mesmo sabendo que sou único neste mundo, sei também que existem outras pessoas com os mesmos desejos, sentimentos e qualidades; Porque meu amigo, não é fácil transpor montanhas... Mas eu prefiro tentar a deixar o meu castelo de areia à beira-mar!

Bruno Garcia

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Sobre o outro lado do meu espelho




Algumas vezes tenho a sensação de vazio interior, lacunas que não foram preenchidas, espaços em branco que não poderão mais ser ocupados! Mas sempre ouço que nunca é tarde para re(começar) algo: Estudo, trabalho, vida pessoal, enfim, tudo é possível de se cultivar independente do tempo!
Sim, acredito nisto... mas mesmo não existindo um tempo determinado para fazer acontecer qualquer coisa que se deseja e que por algum motivo não aconteceu, parece que a ordem dos acontecimentos fica "alterada", como que "fora dos eixos"!
Tive um período muito difícil em minha juventude, foram anos e anos "perdidos"; Para exemplificar um pouco o que digo: Entrei para a faculdade com quase 30 (meus colegas me chamavam de "tio"... rs), só fui namorar de verdade, pela primeira vez, com 36; Os poucos amigos que fiz também foi por esse período, a primeira vez que fui em um ambiente GLS tinha de 28 para 29 e fiquei fascinado com aquele mundo que só ouvia falar! 
Considero-me um homem maduro sim, mas de certa forma adolescente ainda!
É engraçado, pois observo os jovens de hoje começarem tudo muito cedo... mas... depende da forma com que se analisa certos pormenores; Mas que existe uma precocidade...existe sim! A evolução do ser humano acontece de forma lenta, mas as inúmeras tecnologias permitem que ela aconteça de maneira mais rápida!
Meu sobrinho de 04 anos acessa joguinhos na internet, vídeos... Já eu fui apresentado ao mundo virtual com 33 anos!
Não sei se tudo chegou tarde ou se fiquei parado no tempo e não ocupei meu lugar na "hora certa"!
O importante é que estou aqui e sei que ainda muitas coisas novas vão acontecer comigo! Tudo tem seu tempo para acontecer e é preciso estar preparado para encarar os fatos para que eles se realizem! 
Mas eu me sinto um "menino" ainda em relação a muitas coisas que para os jovens já são corriqueiras e até entediantes, só quem me conhece pessoalmente sabe desta minha "pureza"...rsrs!
Mas este misto cronológico me incomoda um pouco sim... confesso! E às vezes me pergunto: Será que sou deste mundo mesmo? Bom, vou parando por aqui, não sei muito bem falar de mim e posso estar escrevendo uma grande besteira... ou não! 
Meu beijo para todos e uma ótima semana!

Bruno Garcia

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Quando a Burocracia é maior que a Solidariedade




Confesso que o dia 30/08/2013 foi sem dúvida alguma decepcionante para mim!
Explicando melhor a situação que envolvem os fatos ocorridos nesta data: Já tem um certo tempo que penso em me envolver em algum tipo de projeto beneficente: Uma visita a um lar de idosos, orfanato, hospital, enfim, algo que possa auxiliar o meu próximo. 
Algo que idealizei e que viria a ser muito bom seria doar sangue, afinal são tantos os necessitados e apelos vistos na televisão e outros veículos de comunicação: DOE SANGUE - SALVE VIDAS! 
De forma anônima poderia tornar este ato muito proveitoso para mim e para outro. 
Pois bem, então liguei ao Hemocentro aqui em Uberaba para saber quais os preparativos para tal procedimento; Fui bem atendido, agendei minha doação e fiquei sabendo até que seria "privilegiado" por estar marcando com antecedência, no sentido de um melhor atendimento, como se eu chegando lá, assim de repente, sem avisar, seria tratado de forma diferente...(?) Não sei... Enfim, aguardei ansioso! 
Chegando lá atualizei meus dados, pois já havia doado sangue a uma década atrás pela primeira vez (mas já destinado a tal pessoa que precisava de tantos doadores para fazer uma cirurgia fora do plano particular) e me lembro muito bem dos tais questionários que temos que responder e que tanto nos embaraçam com suas inúmeras perguntas, devastando nossa vida íntima, social e tudo o mais, mas faz parte do procedimento e sem mais delongas fiquei esperando ser chamado! 
Quando entrei para a entrevista, uma mulher toda sorridente e "boazinha" me pediu para sentar e tirou o formulário para começar as perguntas, mas antes mesmo do início, ela me lembrou que a 08 anos atrás quando eu tinha me apresentado para ser voluntário e iria doar pela segunda vez , fui qualificado como inapto para tal ato, pois na época havia declarado ter tido relacionamentos sexuais com 04 parceiros no período de 01 ano e portanto, conduta de "alto risco" (mesmo fazendo uso de preservativos) e por isso havia sido dispensado! 
Pela bela acolhida já me senti muito p...da vida e fiquei imaginando quem tem relacionamentos com pessoas diferentes diariamente, semanalmente, mensalmente, enfim...acredito que não importa o tanto de parceiros(as) e sim os devidos cuidados que se deve ter, pois afinal de contas o meu sangue será analisado pelo laboratório do mesmo instituto e aí sim, se houver alguma alteração, serei chamado para novos exames e esclarecimentos! Mas ela levou em conta o número de parceiros que eu havia tido naquele período... 
Continuando, me fez tantas perguntas que já estava ficando "tonto", me senti como se estivesse na frente de um padre desfiando o rosário dos meus pecados para saber se seria ou não perdoado! 
Respondi a todas francamente, não preciso mentir, pois como já disse de qualquer maneira o meu sangue seguiria para averiguações posteriores; Depois de me "virar pelo avesso" com tantas perguntas técnicas (mas algumas eu senti como pessoais mesmo, pois querer saber o motivo pelo qual eu durmo tarde já é demais), apresentei a atendente os meus últimos exames feitos a pouco mais de 02 meses, nos quais constam negativos para as principais doenças infecciosas a que todos nós corremos o risco de contrair ao longo da vida! Ela não olhou os exames, mas mesmo assim me perguntou: Você já teve Hepatite? Guardando o laudo ainda, olhei para ela e disse um seco: NÃO! 
Quando disse a ela que estava em tratamento odontológico ela arregalou os olhos e me disse na hora que não seria possível eu ser doador enquanto não tivesse terminado o tratamento e, com 15 dias contados a partir da última consulta ao dentista! Já estava totalmente impaciente, mas de certa forma entendi a recusa, mesmo depois de explicar para ela que não tinha realizado nenhuma cirurgia/procedimento mais rígido em meus dentes, como implante, etc..etc..etc... 
Agora a gota d'água (pelo menos para mim) foi a pergunta que ela me fez, se eu fazia uso de algum medicamento de uso contínuo e respondi que sim: O famoso Rivotril; Neste minuto a mulher já foi fechando a pasta na qual estava marcando e anotando minhas respostas e começou a me indagar o por que eu tomava este remédio, quem me havia prescrito ele, a quanto tempo eu tomava, como conseguia receitas se já não estava sendo acompanhado por um "especialista" (cabe ressaltar que sou muito ansioso e já tive períodos de depressão e o psiquiatra que me atendeu, me prescreveu o Rivotril e, mesmo quando encerrei minhas sessões recomendou que continuasse a fazer uso do mesmo, solicitando a receita para ele). Mais uma vez expliquei que apesar do medicamento ser tarja preta e mesmo não estando mais realizando sessões de terapia, eu sempre vou ao médico, tanto para consultas pessoais quanto para acompanhar minha mãe que regularmente precisa de acompanhamento médico por ter problemas cardíacos e sempre o médico faz a receita para mim quando a acompanho! Foi um "Deus nos acuda" naquela pequena sala...o olhar de reprovação da mulher me fulminou e aí sim esqueci até o "desconto" por estar em tratamento odontológico final e me peguei no ponto do uso do rivotril, pois se fosse algo tão perigoso, médico nenhum receitaria e em todos que eu me consulto (urologista, proctologista, clínicos gerais) nunca me questionaram o por que eu estar pedindo receita! 
Quase todo mundo que eu conheço faz uso deste medicamento, tanto que até pesquisei rapidamente e transcrevo aqui um texto simples do grande causador, o ponto final para que eu fosse considerado ainda mais inapto para ser doador de sangue segundo a atenciosa atendente, que inclusive sugeriu que eu retomasse minhas terapias e aí sim quando tudo estivesse regulamentado e sacramentado, (talvez até com um atestado médico dizendo porque eu tomo o remédio), eu poderia retornar ao Hemocentro! 
" O rivotril é o clonazepam, um tranquilizante do grupo dos benzodiazepínicos. Sua alta potência, longo tempo de circulação como forma ativa e peculiaridades farmacodinâmicas o tornam um dos melhores tranquilizantes disponíveis no mercado. Além disso, é uma medicação antiga o que permite seu conhecimento profundo uma vez que é usada por milhares de pessoas em todo o mundo, há muitos anos, sem nunca ter acontecido nenhum relato de efeitos perigosos. Como é antigo é também barato e fácil de ser encontrado, o que de forma alguma deve ser interpretado como sendo uma medicação de segunda categoria. A segurança dessa medicação é atestada pelo uso que é feito em crianças há muitos anos, sem nenhum problema decorrente do longo tempo de uso. A indústria que fabrica essa medicação elegeu este produto como antiepilético. De fato é assim, como todos os tranquilizantes benzodiazepínicos, mas o efeito antiepilético não é sua principal função. Seu efeito tranquilizante, sim, deve ser considerado sua principal qualidade. O Rivotril é eficaz para o controle da Fobia Social, do Distúrbio do Pânico, das formas de ansiedade genaralizadas e para ajudar a controlar os sintomas de ansiedade normais decorrentes de situações extremas da vida de qualquer um. Sua alta potência garante quase sempre um bom resultado e sua prolongada eliminação do organismo diminuem bastante o risco de dependência química." Fonte : http://www.psicosite.com.br/far/ans/rivotril.htm
Depois disso tudo fui dispensado secamente e me questionei se não é melhor "omitir" certos dados para se poder doar um pouco para os outros! Afinal de contas é uma burocracia tão grande para um gesto tão simples e humano para com o próximo; E aí entra a contradição: Pedem solidariedade, fazem aquele auê todo porque os estoques de sangue estão acabando e não aparecem doadores e quando vamos na maior boa vontade dispostos a doar, somos impedidos pelo próprio órgão...talvez porque não somos puros, imunes....ou mesmo, somos sinceros, vemos nossa intimidade ser devastada e mesmo assim devemos nos colocar na posição de réus aguardando a sentença! Sem mais.... 

Bruno Garcia 


terça-feira, 27 de agosto de 2013

Aprendizado




E vou vivendo por aí...
Me esbarrando nos dias;
Tropeçando nos meses; 
Caindo nos anos...
Me levantando para a vida!

Bruno Garcia

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Rotina




Mais um dia (re)começa! 
Os nossos deveres e obrigações mais uma vez sendo colocados à prova de nossa resistência... paciência;
Quando saio de casa e me encontro no meio da rua, as pessoas passam por mim, algumas me olhando nos olhos, outras desviando os olhares indiferentes, evitando o contato direto comigo!
E nessa caminhada sei de cor quem vou encontrar, mas cortando por outra rua posso notar pessoas que ainda não vi, mas que podem se tornar constantes se persistir por este novo trajeto; Quem sabe tentando encontrar outros rostos, expressões e até mesmo outras árvores, jardins, flores!
Mas tudo se repete e o tempo vai passando: horas, dias, meses, anos...
A nossa rotina pode se tornar irritante, divertida, alegre, triste... depende das circunstâncias, mas estas, também podem ser mudadas ou até mesmo suavizadas, pelo modo como pensamos e agimos!
No meio desta faina necessária também posso ser indiferente, querendo ou não....pois eu passo pela rua, pelo meu dia, carregando meus problemas e me esquecendo que quem está ao meu lado também tem as suas angústias... ou posso evitar determinada pessoa por saber que mais uma carga que conheço possa acrescentar a minha mais peso ainda! 
Lembro-me então da palavra solidariedade... Se eu desligar um pouco de mim mesmo e me ligar a outro eu posso aliviar, ouvir um desabafo, dar atenção nem que seja por alguns minutos e volto para minha realidade menos abafada, pois ajudar alguém sempre nos traz benefícios, sensação de bem-estar, satisfação!
Não se pode permanecer parado e mesmo em casos que isto acontece a aflição é maior ainda, pois é tempo perdido, que não volta mais!
Momentos de lazer, tais como: Viajar, ler, escutar uma música, escrever um texto nos relaxam sem dúvida alguma, mas em um determinado momento temos que retomar de onde paramos para começar tudo outra vez... não tem como fugir disso, é necessário! 
Alguns dias atrás ao voltar para minha casa recebi um boa-noite inesperado, de alguém que nunca tinha visto e me senti muito bem; Confesso que estava aborrecido e este cumprimento tão espontâneo mudou minha vibração energética!
Temos dias difíceis, mas também outros mais amenos, tudo vai se acomodando nesta roda- viva que nunca nos deixa!
Acredito que introduzir uma “nova rotina” à nossa rotina, através de pequenos atos mesmo, pode fazer uma grande diferença e com isso ganhamos novo ânimo!
Afinal, viver é uma arte e o dia-a-dia uma obra prima.

Bruno Garcia

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Sons da Alma




Quem me conhece pessoalmente ou também virtualmente sabe que sou uma pessoa extremamente romântica e que valoriza muito os sentimentos em suas variadas formas! 
Por isto mesmo entro em um ponto muito importante e que contribui efetivamente para este meu lado poético de ser: A música. 
Música para mim é inspiração, é uma forma de se "ouvir o sentimento", dar asas à imaginação, viajar no tempo... assim como também um bom livro pode nos remeter a épocas remotas no momento presente, trazendo conhecimentos históricos, artísticos e culturais da humanidade! 
Esta riqueza de conhecimentos trazida através dos sons é para os poetas uma melodia que nunca tem fim, pois quanto mais se “bebe” sua presença, mais se embriaga em suas raízes e desperta os mais calorosos instintos que trazemos em nossa essência! 
Não desejo criticar ou me estender longamente sobre os vários estilos musicais que absorvem a grande massa atualmente; Tenho algumas predileções não posso negar... Amo a Música Popular Brasileira, seus grandes compositores e intérpretes, tanto da "velha guarda" como alguns atuais! 
Quando me refiro à "velha guarda" quero dizer das composições de Caetano, Chico Buarque, Sílvio Cesar, entre tantos outros que fizeram uma época de ouro e que hoje são considerados por muitos, inclusive por mim, como clássicos! 
E por falar em clássicos, também gostaria de deixar minha sincera consideração sobre a música clássica; Não sou estudioso do assunto mas aprecio muito grandes compositores que deixaram estes límpidos sons que encantam a qualquer pessoa, mesmo quem diz não se sensibilizar ou nem mesmo conhecer algumas obras destes grandes mestres, tais como : Fréderic Chopin, Wolfgang Amadeus Mozart, Ludwig van Beethoven, Johann Strauss II, Pyotr Ilyich Tchaikovsky! 
Sempre quando ouço alguma música clássica me acalmo de uma forma que não consigo encontrar explicação. É uma paz tão grande que me invade e aí sim a inspiração brota como que por encanto. É uma magia, por ser única em sua instrumentação, diferenciada... é alimento para a alma que suga todas as suas formas e atributos próprios se renovando em energias e disposições que somente quem sente saberia explicar por que toca tão profundamente o apreciador! 
Entre estes grandes compositores gostaria de destacar um que me chama a atenção justamente por suas inúmeras qualidades musicais e que se consagrou de forma definitiva e crescente, no tocante à suas obras: Johann Sebastian Bach! 
É considerado o maior compositor de todos os tempos e uma de suas composições que acredito ser muito conhecida até por quem não é estudioso ou apreciador de música clássica é Aria Sulla IV Corda; Esta música encontra em meu interior tão íntimas vibrações de amor, desprendimento e árduo pulsar do coração, que me emociono toda vez que a escuto. Quem nunca se emocionou ao ouvir o que guarda dentro de si mesmo? Sentimentos...


Bruno Garcia

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Permissão




Se um dia eu pudesse fazer com que seus olhos ganhassem um brilho mais intenso, os meus brilhariam muito mais.
Se eu pudesse fazer o seu coração bater mais forte, o meu se acalmaria dentro do peito, pois traria você para dentro dele fazer sua morada.
Se eu pudesse mandar o vento e a chuva para molhar os teus sentimentos e o sol para aquecer e fazer brotar algum novo sentido eu o faria, pois não mediria esforços para te fazer sentir minha presença.
Se eu pudesse te falar de amor, de sentimentos, de tudo que se revolve em meu interior eu iria me esvair, mas também me renovar.
Se eu pudesse ganhar seu coração, o meu iria encontrar tamanha felicidade que já não caberia dentro de mim; E dessa explosão não sei quais estrelas receberiam tantas luzes...
Eu quero licença para entrar em teu pensamento;
Eu quero teu peito para recostar minha face;
Eu quero teu sorriso pra fazer nascer o meu;
Eu quero no silêncio de um minuto, poder te dizer milhões de coisas somente com meu olhar;
Eu quero a tua felicidade, porque saber que você existe já faz o meu dia-a-dia se tornar mais especial!

Bruno Garcia

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Entrega




Entrego pra você o carinho que existe dentro de mim, ele irá te acompanhar por onde passar e será como uma brisa suave a brincar em sua face;
Entrego em tuas mãos um coração, que de tão machucado se escondeu dentro do peito, mas agora bate mais forte quando sente a sua presença;
Entrego-te os meus sonhos, pois eles se tornarão realidade quando em silêncio eu puder olhar nos teus olhos e neles ver refletida a imagem de um sentimento chamado amor;
Entrego-te minha alma, para que juntos possamos formar uma única essência, feita de vida plena e realizações, onde nada poderá nos separar ou nos salvar de nós mesmos, perdidos em nossos momentos tão doces;
E que possa repousar em teus lábios o gosto do beijo que serenamente venho lhe dar!

Bruno Garcia



sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Vida Real





Que estranha realidade vem chegando de mansinho, invadindo minha fantasia e tirando-me a noção do desprendimento emocional. 
Que realidade é esta que invade os meus sonhos mais perfeitos e me acorda para a vida, deixando para trás todos os momentos conquistados embora não aproveitados em sua plenitude? 
Que desassossego impertinente que toma todo o espaço da minha calmaria, fazendo o meu céu azul sem nuvens, se tornar cinzento e trovejante. 
Que estado de agonia é este que luta para se instalar em meu peito onde meu coração bate tão forte que chega a me deixar sem forças e trêmulo, perdendo os sentidos? 
Quando a vida "real" bate às portas da minha consciência, tudo isso se dissolve... se torna um "abstrato- concreto", quando apalpo as paredes à minha volta, o meu corpo dolorido, meus cabelos em desalinho e embranquecidos pelo tempo! 
Quando essa vida, assim por mim vivida se estabelece de prontidão, me arremessa contra os meus desejos e me atira em um espaço de vazio absoluto em que é preciso procurar, tateando meus pesares, assumindo minhas culpas, declarando meus desabafos cortados pelos soluços que brotam de meu íntimo. 
É impossível viver na ilusão durante uma vida inteira, ainda que em curso, esperando, calculando matematicamente a hora em que este fantasma da solidão pudesse evaporar por completo dando lugar a uma realidade menos sofrida, para quem somente busca pelo que de mais sagrado existe neste universo sem fim: O amor! 
Não que fizesse do amor um ato impensado de loucura ou estupidez por me entregar tão sem reservas a ele....não...foi por me doar a quem de fato não o conhecia verdadeiramente e em sorrisos zombeteiros fechou a porta e se foi, deixando uma marca de desprezo, que me feriu como ferro em brasa e me colocou entre os mais dissabores e amargos efeitos! 
Foi por amar demais que hoje me vejo recolhido em meus véus de aparente adolescência envelhecida e mesmo assim, emudecido diante dos ruidosos barulhos cotidianos em que poderia gritar minha raiva contida, mas somente consigo murmurar num breve espaço de tempo os meus "ais" tão abafados! 
Às vezes sinto tanto amor dentro de mim que me parece explodir em inúmeros dardos reluzentes, ansiosos para alcançar um coração desprevenido ou também prevenido! Mas são tanto amor e carinho sendo desperdiçados que não posso conter meu transbordar, mesmo não indo de encontro à fonte em que também possa saciar minha intensa sede! 
Talvez eu seja inocente, culpado ou uma vítima de mim mesmo por acreditar nas ilusões que me rodearam durante tantos anos de hibernação, mas era preciso dar o passo para seguir o caminho; Mas o caminho foi cortado e por instantes já não sabia mais como trilhar, como refazer esse percurso! 
Com certeza foi preciso me levantar, deixar ainda uma ponta de fantasia entreaberta para que meus pés tocassem o chão frio não se enraizando, mas me dando cada vez mais passos largos e seguros! 
E quando a realidade da vida descortinar o amor de uma forma tão banal e descartável como nos dias atuais, me sacudir e esbravejar, que eu possa acenar com gestos significativos de quem não deprecia, mas antes de tudo possa tentar conter minha dor, me ajoelhar, abençoar minhas lágrimas e abraçar minha confiança de que existe sim o amor, não feito de temerárias fantasias, mas de cortes que se cicatrizam e dando firmeza à carne machucada se estabeleça em brilho novo para a alma! 

Bruno Garcia

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Sentido




Me abstenho de sua forma física;
Porque mergulhando em meu interior te encontro forte e vivo em cada batida de meu coração e em cada segundo de meu pensamento.
Não é ausência sentida...não! 
É presença vivida; Pois minha alma fala à tua alma e neste diálogo silencioso tudo é dito.

Bruno Garcia

domingo, 28 de julho de 2013

Palco




Eu não sei quem você é na realidade, se o seu reflexo no espelho é verdadeiro ou imaginário!
Eu sei que gostaria de lhe conhecer, de estabelecer um diálogo contigo, de poder entender um pouco mais sobre você, suas dificuldades, suas alegrias, suas tristezas, conhecer os seus sonhos, me mudar para eles e fazer deles uma realidade insubstituível.
Eu não sei qual o meu lugar na sua vida, se estou na primeira fila, na do meio ou na última; Eu só sei que faço parte da platéia e como um todo eu aplaudo a sua maneira de ser e demonstrar suas afeições! Mas eu quero que você me queira também, porque não é difícil me conhecer, não sou inatingível, muito pelo contrário...eu me deixo atingir pela paixão facilmente e talvez seja este o meu maior erro... meu maior pecado! Os meus defeitos estão escritos, impressos na minha alma decifrável e frágil e com eles eu conquisto minhas virtudes, insanas ou não. Eu me deixo levar pelas loucuras reais e tentadoras de uma pessoa que vive e ama e com isso eu me perco e por vezes fico preso no porão da minha essência tentando me encontrar novamente...pra fazer tudo de novo...eu sou assim....não me comporto, não me iludo tão somente das mentiras que presencio e que me desfolham em atitudes sem brios! Eu sou alguém que caminha, para, olha para o horizonte, pensa e continua caminhando!
Porque eu penso em você e isso me dá mais alegrias para continuar seguindo...até onde os meus olhos fixos em um ponto, descortinam outros cenários, outras realidades...

Bruno Garcia

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Esboço




Algo que me chama a atenção diariamente são alguns temas sempre atuais : Beleza, Caráter, Padrões de comportamento!
Vivemos em um mundo onde os interesses estão estampados em todas as vitrines, cartazes, mídia e nos meios virtuais.
Todos temos interesse em algo, seja para complementar nossa vida tanto material quanto emocional; Mas até que ponto isto vale a pena? Acredito que essa lei da oferta e procura se estende além dos limites simples do "eu tenho algo para viver de uma forma tranquila"! 
Aliás, desde as mais remotas épocas, este processo de ter algo a qualquer custo foge completamente à organização mental do ser humano em seus aspectos sociais! 
É natural as pessoas desejarem e sonharem com os bens materiais que lhe faltam, como moradia, condições dignas de saúde, higiene, educação...pois tudo isso faz parte do mundo materialista no qual vivemos...é normal e humanitário! 
Mas o desajuste dos vários setores sócio-econômicos, empurram uma grande parte das pessoas para o abismo das desigualdades e com isso sua consequente lei de sobrevivência, seja ela em que nível estiver situada: Quem tem muito...quer mais, quem não tem...necessita obter! Claro, dentro deste contexto, se ressalta sempre a condição do indivíduo dentro da sociedade, que é um todo, mas que o mantém à margem da mesma, fazendo com que ele tenha que se "adaptar" para sua melhor colocação ou ajuste, seja dentro do próprio ambiente familiar, quanto no de trabalho, lazer e até mesmo virtual! 
Não quero justificar ou rotular bons e maus, pois isso é algo que não cabe julgar e não estou aqui para condenar as atitudes de quem quer que seja, somente desejo partilhar pensamentos meus com outras pessoas, mesmo com aquelas que porventura possam não estar de acordo com o que penso ou escrevo; Graças a isso existem as divergências e com elas sua respectiva ascensão ou mesmo completa desestimulação, pois as idéias quando expostas se tornam fontes na maioria das vezes de contradições próprias de diferentes humores e seus respectivos dissabores! 
Nos dias atuais o que mais presencio é a busca excessiva da beleza exterior como fonte inesgotável de prazer e aceitação dentro do ambiente em que se vive! A beleza física sempre foi cultuada e sempre será; Somos educados desde o berço a achar tudo bonitinho e fugir daquilo que aparentemente possa ser "feio"; Mas o que é bonito e o que é feio? Uma atitude honesta, digna, para com um semelhante é bonita, mesmo a pessoa fugindo dos padrões de beleza exterior! Padrões estes impostos que se perdem no tempo... 
E aquela pessoa belíssima, que é toda sorrisos, corpo perfeito, malhado, que atenta contra o seu próximo...o que se esconde por trás desta casca? De minha parte acredito que toda a imperfeição de seu espírito e suas marcas de ambição estereotipadas quando pisa, humilha e até mesmo tenta justificar seus atos insanos! 
Tudo é muito relativo...existem os que preferem a casca do que a essência; E no meio disso tudo os comportamentos vão de um extremo a outro! Não sou hipócrita de dizer que não acho alguém ou algo bonito, que possa me interessar e com esta atitude deixar de ver o outro lado da moeda, o "aqui se faz, aqui se paga"! Já paguei algumas vezes um preço muito alto por enxergar somente com os olhos físicos do que acreditar nos instintos e resumindo quebrei a cara literalmente! 
O que é belo é para ser visto e admirado, mas nem toda admiração encontra sua pauta somente neste sentido! 
Por isso creio que esta inversão de valores, a favor da beleza, cria muitas expectativas errôneas e com isso deixamos de sentir algo muito mais profundo: A energia de cada um! Você com certeza já viu casais totalmente opostos no que toca ao físico, como por exemplo ouvir alguém dizer :O que aquela mulher viu naquele cara? Ou o contrário. E até mesmo no mundo animal, na natureza...que fenômenos estranhos...não são estranhos, são NATURAIS! 
Isto é energia, que vibra, se expande e vai além dos limites físicos, pois atinge um grau muito elevado e que infelizmente uma grande parte das pessoas não percebe, principalmente entre os mais jovens, em suas descobertas iniciais sobre a vida e no querer viver tudo de forma agitada, o que também não considero lamentável, pois é uma fase de colocar à prova seus valores, usando de seu livre arbítrio para enaltecer ou dizimar algo tão logo de cara e partir para outra experiência com a mesma necessidade de pressa! 
Claro que cuidar do próprio corpo é uma necessidade, mas e cuidar de seu caráter quem vai? Vou seguindo a boiada ou posso me desgarrar e tentar unir as duas coisas de forma a agradar Gregos e Troianos? 
A evolução não dá saltos, ela é lenta...mas acontece, mesmo que para isso muitos milênios ainda possam decorrer; E que bom que sempre existem as exceções, pois com elas conseguimos aprender e tentar melhorar nosso minuto atual diante da eternidade! 

Bruno Garcia 

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Sonhos




No brilho dos seus olhos, eu vejo refletida a imagem do amor;
Em sonhos te persigo incansável, pelos campos que aspergem o perfume... não das flores, mas de seu corpo que tanto anseio;
Eu tento tocar seu peito e alcançar o seu coração, mas já me sinto feliz ao saber que ele bate no compasso da tua serenidade.
E eu fico quieto! Espero, grito, acompanho, choro, sorrio e me perco mais uma vez...só me encontrando quando vejo seu sorriso tão espontâneo iluminar tudo ao meu redor;
O seu nome pronuncio com cuidado e em segredo ao universo...só ele ouve as minhas súplicas e acolhe meus gemidos!
É segredo tudo o mais.....

Bruno Garcia

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Reflexões




O ser humano não foi feito para viver sozinho, isto todos nós já sabemos.
Não tem como viver "isolado" em um mundo onde a busca de realizações diversas se faz presente e também necessária a nossa evolução!
Acredito que as pessoas mais próximas de nós são nossos familiares...a partir dessa relação somos "moldados" em duas etapas distintas e que se completam : A primeira é a educação que nos é ofertada pelos nossos pais, o convívio com os demais parentes mais próximos, as primeiras relações extra-familiares...tudo isso traz ao indivíduo naturalmente a segunda etapa : A formação do seu caráter, latente, que vai com o passar do tempo sendo colocado em prática nas diversas situações da vida! Digo latente porque é algo intrínseco do ser humano, nascemos com tendências e estas vão se orientando para o lado "bom e firme" ou "ruim e fraco", mas há que se decidir em um momento o caminho a seguir já que ele se apresenta como uma estrada que temos que trilhar. Mas o conceito de bom ou ruim também é muito relativo, citei somente como um exemplo!
E características positivas e negativas todos temos, afinal é o equilíbrio lógico dos polos, pois eles se completam de forma espontânea e incomparavelmente perfeitos!
Tudo isso para poder tentar se chegar a algumas indagações: Que tipo de amigo é você? Que tipo de amigos você tem?
Eu acredito que a relação de amizade quando bem consolidada perdura por muito tempo, quem sabe até por uma vida inteira, claro, com seus altos e baixos, mas que não deixa de existir!
A "liga" de uma amizade não se tem receita...ou seria tudo mecânico? Acredito que não!
A partir do momento que "conhecemos" uma pessoa, nos identificamos com ela de acordo com suas características...que também podem ser as nossas características...seria como estar em frente de um espelho e enxergar no outro aquilo que somos ou buscamos para nós mesmos, com uma particularidade : o DESAFIO de poder com esta pessoa trocar experiências de vida, idéias, reciprocidade para o amparo nos momentos tristes ou alegres!
E mesmo com aquelas pessoas que temos uma "apatia" inicial, pode de repente se tornar o contrário, afinal as diferenças fazem toda a "diferença".
Existem conhecidos e amigos; Conhecidos a meu ver são aquelas pessoas que cansamos de ver praticamente todos os dias mas não temos contato mais íntimo e tudo se resume em um : Bom dia, Boa tarde ou Boa noite...ou um E AÍ? Blz?
Tudo bem...Mas e o amigo?
Para mim é aquele que te "ampara", ri e chora com você, lhe estende a mão sempre que você precisa e vice-versa.
Mas também os amigos podem sim nos decepcionar por algum motivo, como dito logo acima deste texto...é verdade...existem os "altos e baixos";
Cada pessoa tem a sua personalidade e é única neste mundo e claro as amizades tendem a ser as vezes mais secas ou formais, mais intensas, totalmente verdadeiras ou também dizendo, veladas à suas próprias mesquinharias e interesses escusos!
Claro que é preciso se fazer um esforço para se conseguir este grande presente que é a amizade...
Há que se doar, demonstrar, fazer por merecer esta importante conquista;
Mas muitas vezes nos doamos demais, esperamos demais e até cobramos demais...mas justamente por esta diferença entre as relações humanas!
Acredito que tudo tem que ser muito bem dosado, medido...mas na vida não se tem "regras" para tal!
Eu particularmente me entrego demais a tudo que faço, sou uma pessoa muito extremista e nesta estrada eu me decepciono algumas vezes, porque eu vivo os sentimentos sejam eles quais forem de uma forma tão verdadeira que até tenho receios por ser assim e inevitavelmente isto me traz um certo sofrimento!
Então como "apagar" mesmo que parcialmente este temperamento ou tendência que trago desde criança?
É possível mudar o que se sente em relação ao outro, deixar de ser você mesmo?
Não...penso que não...mas pode-se mudar as atitudes de uma certa forma.
Se dou carinho, se demonstro tanta importância à presença de uma pessoa em minha vida e não tenho o retorno emocional desejado, seria isto uma forma de suprir a carência que trago dentro de mim? Acredito que sim...mas nem tudo está perdido!
Costumo dizer que "falo" e "escrevo" demais quando a circunstância exige e é verdade;
Só que as vezes eu que me dou inteiramente ao outro, também preciso de colo, preciso de uma palavra amiga...é natural isto! E quando tal não acontece eu fico triste sim, não vou negar...
Mas tirando o efeito "eu no espelho", também nestes momentos podemos ver quem é quem na realidade...também velada, porque nem nós mesmos sabemos a fundo quem somos, a nível de sentimentos muitas vezes escondidos no fundo de nosso âmago!
E neste mundo virtual o que dizer?
Eu acredito nas amizades que possuo, mas também confesso que não sei até que ponto seriam dados a mim alguma intensidade a respeito das mesmas, porque é algo "virtual" mas as pessoas são "reais".
Acho que todos nós já fizemos nossas "loucuras" por alguém que gostamos muito...
Eu já fiz coisas que dariam para escrever um livro, mas não seria publicado jamais...contando no sentido de não me prender a "forma" e me "sacrificar" literalmente pelo bem estar do outro...aí costumo dizer que cada decepção é como se fosse uma "morte" para mim...com certeza meus caros já "morri" muitas vezes, mas eu sei renascer também!
Mas continuo acreditando nas amizades e nas suas tendências...também se aprende a conviver com diferentes formas de se pensar...e sou feliz pelos amigos que tenho...poucos... mas muito verdadeiros e quero fazer ainda muitos mais!
Não existe perfeição...nem eu, nem você, nem nada é perfeito...então vamos fazer da imperfeição uma porta para fortalecer nossos laços?
Eu creio nisso....e você?

Bruno Garcia

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Minha Voz Interior




Atento ao chamado do amor eu fico à espreita, escutando longamente os sons de meu interior que pulsa vida e canaliza as emoções de todos os sentimentos em um só! Quando grito ouço o eco de meus prantos derrubarem os sentidos que se alinham a autoridade da razão, mas esta nem sempre impera de forma a evitar que tal aconteça! Quando choro lavo minha alma e minhas lágrimas são como gotas de chuva que caem em um solo árido e sofrido! Quando sorrio eu faço brotar a esperança, embora tímida mas destemida! E quando imagino este sentimento tão puro me consumindo, tenho a sensação de que já não sou mais eu fisicamente e sim luz intensa que a tudo ilumina e dissipa as sombras do caminho, fundindo-se ao compasso, não de um, mas de dois corações!

Bruno Garcia

sábado, 13 de julho de 2013

Leia-me





Escrevo como se nada mais pudesse interromper o meu momento;
Momento este, de poder através de minha mente, transferir para uma folha em branco tudo que me vai surgindo aleatoriamente mas que não deixa de ser o meu "eu" muitas vezes aprisionado! Entre rabiscos, correções, dúvidas e incertezas vou preenchendo espaços vazios com meus pequenos tesouros ocultos!
Leia minhas verdades, sim...minhas...pois não são de ninguém, mas podem ser aproveitadas se assim o desejar, pois o que escrevo não são palavras jogadas ao vento, são palavras para tocar, sentir, imaginar ou até mesmo para se caminhar junto comigo...a estrada é imensa...vamos fazê-la transitável!
O que escrevo é tão verdadeiro que para algumas pessoas pode parecer obscuro ou incompreensível, mas para outras, minhas palavras demonstram tamanha sinceridade que podem até assustar; Enfim...colha as sementes, elas podem germinar dentro de você! E não tenho tão grandes pretensões...somente alcançar outras mentes, outros corações, outros horizontes e isto se torna fácil quando se é sincero! Já não tento mais decifrar outros escritos, mas sim esclarecer o que de tão simples tenho em mim: A capacidade e a coragem de me mostrar como sou, para que nada possa apagar os sentimentos que trago dentro de minha alma e que aqui é possível torná-los concretos!

Bruno Garcia

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Distorções




Sorri do infortúnio alheio mas estufa o peito como um herói quando ajuda o seu próximo...talvez para sair melhor na foto, ou nos inúmeros comentários de tal gesto!
Dissimula tão bem o falso choro, que este se confunde aos verdadeiros soluços de quem está buscando em seu abraço de conforto uma acolhida carinhosa!
É refém de seu ego-algoz, quando o mesmo se insufla com falsas adulações que lhe sujam ainda mais o caráter inacabado!
Busca no horror o que poderia buscar no amor, mas a estrada deste primeiro é mais fácil de ser trilhada para quem não tem caminhos retos a serem seguidos!
Sente como se sua ponta de dor caprichosa fosse superior aquele que sente na própria pele a verdadeira dor, tanto moral quanto física!
Escala os mais altos picos da ganância quando na verdade desce aos abismos mais profundos! E este "vazio" é tão bem "preenchido" pelo supérfluo, que se torna cada vez maior e insaciável!
Esquece que tua carne é igual a outras carnes e subjuga nos desejos incontidos o primor das fantasias miseráveis e hipócritas!
Esquece o alto e escolhe o baixo, aliás, se alegra da decorraca à qual sua condição humana já se compôs!
Se farta da miséria e mostra os dentes alinhados e brancos em seu impecável terno, sempre lustroso e imponente!
Esquece que a vida se gasta aos poucos e conta os dias, meses e anos como troféus dignos de quem se julga imortal!
Pobre de ti que desconhece os valores e enobrece a sua desvalia! 

Bruno Garcia

domingo, 7 de julho de 2013

Identidade





Quem somos nós e o que realmente buscamos?
O que este mundo tão intenso, tem a nos oferecer em nossas necessidades cada vez maiores de entender o por que das coisas, da causa e do efeito?
Somos o nosso exterior muitas vezes, quando as circunstâncias nos empurram para a conquista de objetivos! Mas também somos nosso interior gritando aos demais para que nos "enxerguem" tal qual somos na realidade! E esta realidade do saber quem somos se esconde tão bem que acabamos nos perdendo num emaranhado de sentimentos confusos!
Você se mostra realmente como é? Dizer o que pensa no seu mais íntimo, do seu desejo mais secreto, pode criar inimizades e com isso o ser humano passa a ser uma sombra do que seguramente é! Temos uma máscara natural, mas que sempre cai...ou quase...pois pode permanecer "colada" e esta desfiguração tende a ser desastrosa pois não se mantém por muito tempo uma personalidade obscura!
E de quem é a culpa disso tudo? O mundo permanece o mesmo, as escolhas do ser humano por mais que sejam progressivas, permanecem ainda com uma pontinha do seu calado mundo interior!
A escala evolutiva é lenta...cabe a cada um fazer a sua parte para construir não sonhos inalcansáveis, mas concretas realidades que se adaptam, mesmo de forma predestinada ao foco visado!
Desejos inconfessáveis nos sufocam, gritos ecoam e não encontram ouvidos ágeis para absorver idéias...se perdem levados pelo vento! A capa que vestimos deve ser posta de lado, mesmo em dias de chuva e deixe o sol brilhar sobre você, contudo sem se queimar! E de um extremo ao outro nesta jornada, existe o meio...é ali que se pode recuar ou prosseguir!
Ainda não sei quem realmente sou, mas estou prosseguindo e espero chegar neste divisor de águas intacto e lúcido, senão...a correnteza me leva!!! 

Bruno Garcia
 

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Considerações particulares





Desejo dedicar esta postagem a duas pessoas maravilhosas, que a roda da vida se encarregou de colocar no meu caminho no momento e na hora exata : Paulo Braccini e Wanderley Elian!
Preciso antes esclarecer que não sou muito bom em descrever com palavras os sentimentos, nem tampouco me preocupo em seguir regras ortográficas ou quaisquer outras pré estabelecidas no mundo que cerca os grandes escritores, com suas facilidades inerentes, naturais, que os acompanham...não; Escrevo como vai ditando meu coração, portanto se não souber me fazer entender através deste texto, que me perdoem os intelectos ativos, rígidos e críticos em suas avaliações...afinal, não é para eles que se destina tal...rs!
Quando me dei conta do que é este mundo virtual com suas redes sociais, muitas vezes me peguei pensando se realmente é possível se fazer amigos neste meio! A resposta na maioria das vezes era negativa, mas as poucas positivas que obtive, valem por todos os obstáculos pelos quais tive que passar: Superficialidades, falsidades, interesses escusos, dentre outras coisas!
O primeiro contato com Paulo (Bratz) me chamou a atenção: Divertido, carismático, expontâneo...aí pensei...opa, ganhei um amigo...rs...e o tempo me fez ver que realmente este tinha vindo para ficar! Costumo compará-lo a um sentimento muito positivo e que muitos (inclusive eu) fazem questão de "mascarar": A razão! Paulo é uma destas pessoas que colocam os pingos nos "is" de forma clara, aberta! Não deixa para amanhã o que pode ser feito hoje e até, ontem...rs! É ágil, inteligente ao extremo e dotado de uma paciência sem igual...rs...pelo menos comigo! Já passou horas me ensinando como fazer isto ou aquilo...do outro lado da tela do computador podia imaginar a "fumacinha" sobre sua cabeça e provavelmente pensava: Como o Bruno é lento meu Deus....rs...e eu do lado de cá pensava: Como ele consegue me aguentar? Quantas confidências trocadas, quantos problemas já foram discutidos por nós através de bate-papo, quantas vezes me chamou à razão me mostrando caminhos seguros e firmes para seguir, estando eu com alguma complicação e ele com sua experiência de vida administrava tb a minha falta de experiência, orientando, aconselhando...e quando nas raras vezes ele se tornava "bravo" eu simplesmente acatava o que vinha dele pois no fundo sabia que estava certo e pude comprovar isto através de muitos fatos que não convém citar no momento, apenas para dar a mão a palmatória e poder dizer: Sim, ele está certo! Mas quando digo "bravo" é num sentido divertido, pois sempre me acolheu de forma tão carinhosa que até suas "broncas" se tornavam aprendizado para mim! E no meio dessa razão toda, lá no fundo, existe uma sensibilidade ímpar, todo um sentimento de vida e amor que carrega dentro de si e doa a quem pede, com toda generosidade que lhe é peculiar!
Wanderley (Wander para os íntimos como eu...rs) é de uma emoção sem tamanho! Somos muito parecidos em alguns aspectos: Românticos, adoradores de poemas, sentimentais, contidos... mas ao mesmo tempo ligados aos laços mais estreitos da boa convivência com todos e com tudo! Apreciamos as artes, gostamos de ter nossas antiguidades expostas, colecionar, deixar tudo em ordem! É um profundo conhecedor do ser humano no sentido de conviver com emoções e compartilhar as mesmas com preciosidade! Meigo, carinhoso, leal...diria um "poeta particular", pois quem convive com ele ou tem um certo grau de contato mais íntimo, pode sem dúvida alguma dizer: Quanta honra...tenho um poeta inteiramente ao meu dispor...rs!
Mas toda esta emoção é respaldada também pela razão, lucídez, brilho nos olhos! Afinal todos nós temos em nosso íntimo uma certa batalha (Razão x Emoção) e algumas vezes deixamos um destes lados gritar mais alto ou simplesmente é o lado que fala mais e que compõe a nossa personalidade!
Pois bem, estes dois grandes amigos que me foram dados como presentes por Deus, ou pela vida se assim preferir o leitor deste post, são caríssimos para mim! Quando me desnorteio encontro na razão do Paulo a lucidez para enxergar além e ver que não posso dar tanta atenção a pequenos problemas que a vida me entrega e que faz parte do viver! Quando me extasio com algo e fico como um adolescente querendo contar uma novidade ou compartilhar uma emoção, é na simplicidade de Wanderley que encontro refúgio e vazão para tal! Os dois se completam sem sombra de dúvida e tb me completam, porque formamos um todo, estamos ligados por laços tão especiais de amizade pura, sincera, que acredito que nem o tempo poderá apagar! Existem os amigos em determinadas fases de nossas vidas que passam por nós e se vão naturalmente, é um período de aprendizado e devemos aceitar este fato! Mas existem os amigos que vem e que ficam...estes dois vieram e ficaram, estabeleceram morada em meu coração de tal forma que me tornei cativo feliz por tê-los em minha vida e jamais pretendo abandoná-los...já fazem parte de mim, já conhecem minha história e de dentro do meu peito não sairão...não deixo...rs!
E claro também, que este blog existe atualmente pelos dois, pois me incentivaram, me ensinaram e ainda tenho muito o que aprender com eles...rs!
Meus queridos, saibam o quanto sou grato por vocês existirem e por ter o privilégio de conviver com vocês, mesmo através deste meio virtual, que afinal nem importa tanto, pois nossas almas já convivem diariamente e para isto não existe tempo-distância! Amo vocês com toda intensidade permitida e também não permitida! Beijos e muito obrigado por tudo: pelo ontem, pelo hoje e pelo amanhã...sempre!

Bruno Garcia

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Simplesmente



Eu gosto dos poetas, dos poemas, da solidão, cartas escritas à mão e cartões postais!

Bruno Garcia

terça-feira, 2 de julho de 2013

Noções





Entre mim e mim, há vastidões bastantes
para a navegação dos meus desejos afligidos.
Descem pela água minhas naves revestidas de espelhos.
Cada lâmina arrisca um olhar, e investiga o elemento que a atinge.
Mas, nesta aventura do sonho exposto à correnteza,
só recolho o gosto infinito das respostas que não se encontram.
Virei-me sobre a minha própria experiência, e contemplei-a. 
Minha virtude era esta errância por mares contraditórios,
e este abandono para além da felicidade e da beleza. 
Ó meu Deus, isto é minha alma:
Qualquer coisa que flutua sobre este corpo efêmero e precário,
como o vento largo do oceano sobre a areia passiva e inúmera ... 

[Cecília Meireles]

Bruno Garcia

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Tempo




O tempo que passa é o mesmo que atormenta, instiga, nos faz retroceder ou avançar! Tempo de semear e depois colher, tempo de viver, de partir, de chegar; Tempo para amar, para "esperar", renovar, se envolver, gritar, emudecer; Tempo para sonhar e também para acordar! Companheiro inseparável, dos momentos amargos ou doces, gasta-se em poesias e sempre nos enche de esperanças!

Bruno Garcia